Um Em Cada Três Celulares Contará Com Uma Inteligência Artificial Nativa Em 2019, Segundo CounterPoint 1

A inteligência artificial veio pra ficar e nos dar uma mão. O mencionamos no artigo em que repasábamos as tecnologias que tinham quebrado em 2017, com mais potência, apesar de não fosse realmente inovadoras. E de entre todas as maneiras que você podes pousar em telefones celulares, a forma nativa, que conta com apoio específico de hardware muito concreto.

CounterPoint foi elaborado o relatório do mercado de processadores do terceiro trimestre nesse ano 2017, e mesmo pra enxergar o repercussão total do ano nos tocará esperar, foi lançado algumas informações bastante intrigantes. Já em relação a cotas, classificações e privilégios das diferentes partes. Falamos de previsões, de estimativas.

De doar uma olhada no que nos fornece mais futuro. A inteligência artificial. Já há qualquer tempo anunciar os números do mercado de processadores, e nelas se verificava a esmagadora superioridade em conexão às unidades vendidas, chips, os norte-americanos da Qualcomm. Com o adendo de que estes não produzem uma única unidade, mas que seguem o paradigma da Apple, pra mencionar o mais popular: projetar e deixar que os outros cheguem a aquecer as linhas de criação.

Em números que CounterPoint coloca a respeito da mesa, ou em seu site oficial, volta a ser desviados por este domínio marcial da Qualcomm sobre todos os seus perseguidores. Baseado nesta ocasião, em la plata, na renda, e que coloca a Qualcomm, com 42% de todo o mercado (e 38% em unidades comercializadas no terceiro trimestre). Muito longínquo de 20% da Apple, ainda mais de 14% de MediaTek, ou 11% da Samsung, ou 8% da Huawei. Como sinalizam, estes depósitos assim como não refletem os valores da Qualcomm quanto a modems e outros componentes que fabrica e bem comercializado em primeira pessoa ou coloca em chips da concorrência. Daí que a distância possa ser ainda maior, no entanto sem desvirtuar a fotografia apresentada.

No universo móvel, quando falamos de cérebros, o líder é Qualcomm e não tem conversa. Embora a Samsung quem sabe seja a notícia mais agradável do gráfico. Os coreanos não só foram os que mais cresceram, passando de 8% do mercado para 11% em um ano, bem como são os que mais têm grande seus privilégios. Quase 70% em um único exercício, o que demonstra o excelente estado da divisão de semicondutores da Samsung, que este ano ficou com o espaço mais alto do pódio, a grau mundial, a costa da Intel. Pois é para esta finalidade que viemos aqui.

  • 2006 — Prêmio John W. Campbell, o mais recomendado escritor novel
  • E assim sendo, se pesa o mesmo que um ganso
  • 30 de maio e cinco de setembro
  • Cinco Seções

2017 foi o ano da grande irrupção da inteligência artificial nativa, que divisão de dentro para fora, do coração do hardware dos próprios smartphones. Aqui não falamos de algoritmos carregados por aplicativos, falamos de processamento interno, de código executado no grau mais nanico possível. Não foram poucas as apostas nesse ano e, por esse sentido. ARM colocou a apoio com a tua DynamIQ, teu sistema de núcleos pra melhorar a efetivação de processos de inteligência artificial e aprendizado de máquina, entretanto a implementação foi variada. A Qualcomm fez os seus primeiros passos com o Snapdragon 835 todavia a verdadeira aposta vai vir com 845 dentro de insuficiente tempo. Huawei fez o mesmo com o Kirin 970 e a Apple conta com o A11 Bionic em teu catálogo.

Com uma curva de desenvolvimento ainda mais alta do que a das telas de 18:9, CounterPoint diz que no ano de 2020 se comercializará um telefone com inteligência artificial nativa por cada dois que chegarem sem ela. Um terço do mercado, 35% em apoio a seus números, e dada a curva de progresso mostrada, não muito antes de ter o mercado inteiramente dominado.

Em junho lança o Google Gears, que mais tarde seria abandonado já que o que oferecia mais tarde foi incorporado em HTML5. Em fevereiro de 2008, é lançado o Google Sites. Em 2 de setembro de 2008, a Google expõe o teu respectivo navegador web Google Chrome e o projeto de código aberto Chromium.

Categories:

Tags:

Comments are closed